13/08/15

“ O amor é assim … “ – Capítulo 3

 Desculpem pela demora em publicar, mas só agora é que consegui ter tempo para escrever, espero que gostem e mil obrigadas a todas.

No último capítulo:

- Não precisas de agradecer, sabes que estamos sempre do teu lado, mas as vezes tens algumas atitudes menos boas.
- Eu sei mãe, mas não se escolhe quem se ama.
- Nisso tens razão, mas a vida vai ensinar-te tanta coisa.

  E foi esta frase da minha mãe que me meteu a pensar, será que a vida vai ensinar-me a afastar-me do Afonso e seguir os conselhos dos meus pais?

**********************************************************************

 Estive algum tempo a estudar, estava cansada, atirei-me para cima da cama e sorri, sim eu vou conseguir ser médica e realizar o meu sonho.

- Sim?
- Anda jantar, Margarida.
- Estou a ir, estou cheia de fome.
- Hoje gostei muito, a estudar quase a tarde toda.
- Tem de ser, eu vou conseguir.
- E tens todo o nosso apoio minha princesa.
- Oh, obrigada mãe, eu gosto muito de si e do pai.

 Desci as escadas, juntamente com a minha mãe, não tocamos no assunto “ Afonso” sei que em parte os meus pais têm a sua razão, mas não escolhemos quem amamos.
Só espero que ele não faça o que disse, os meus pais iam-se passar, sentei-me à mesa e esperei que me servissem o jantar.
  O meu pai estava a sorrir para mim, retribui-lhe o gesto.

- Parabéns Margarida é assim que tens de continuar se queres ser alguém na vida, filha.
- Obrigado pai, eu vou dar o meu melhor.
- Eu sei que vais, estás a tornar-te numa mulher, mas tens de ter algum juízo.
- Não vamos falar nesse assunto por favor.
- Como queiras, vamos jantar, que está delicioso.

 E foi assim, calmamente jantamos, há muito tempo que não conseguíamos ter um jantar tão calmo como o de hoje, sei que os meus pais sabem que vou dar o meu melhor e não vai ser o Afonso que vai impedir-me de realizar o meu sonho.
Quando terminei de jantar, pedi licença e fui para o meu quarto, peguei no meu pijama e fui tomar um duche, depois da longa tarde de estudo é o que preciso.
 Estava já a vestir-me quando comecei a ouvir gritos e a voz do Afonso, não acredito que ele teve coragem de me fazer uma coisa dessas, ele tem de perceber que quando digo não é não.
 Vesti um robe e desci apressadamente as escadas, tinha de parar com aquela confusão, mal cheguei ao fim das escadas encontrei o meu namorado a berrar com o meu pai, aquele ser que me criou e fez de mim o que sou hoje, aí fez-me “ clique” na minha cabeça, eu posso gostar muito do Afonso mas ninguém tem o direito de tratar mal os meus pais.

- Posso saber o que estás aqui a fazer?
- Vim buscar-te, avisei-te.
- Não sei se te lembras, mas eu disse-te que não ia, por isso faz-me um favor e vai-te embora.
- O que?
- Foi o que tu ouviste, és meu namorado, mas tens de me respeitar a mim e aos meus pais.
- Anda lá comigo.
- Não vou e não quero voltar a assistir a cenas destas, não mandas em mim.
- A culpa é do senhor.
- Eu já te avisei jovem, põe-te a andar daqui para fora não admito que me falem assim, muito menos em minha casa.
- O pai pode dar-me só um minuto com ele?
- Se precisares chama.

O meu pai fez o que lhe mandei, suspirei de alívio, não gosto de confusões.

- Faz o que te vou pedir de novo e vai embora, já arranjaste confusão, eu não vou contigo, estive a estudar e vou continuar, tenho um sonho que quero realizar, eu disse-te, tens de me respeitar.
- Tu és minha namorada e tens de vir comigo. (agarrou-me).
- Larga-me, eu nunca mais vou andar a teu mando, eu amo-te, mas se continuas assim…
- Que estás a querer dizer com isso?
- Tu entendes-te, burro foi coisa que nunca foste.
 - Eu vou embora, mas amanhã vamos ter uma conversinha.

 Virou-me costas e bateu com a porta, ficou muito chateado comigo eu sei, mas tenho de começar a colocar um travão, não posso permitir que me continue a tratar como fosse um objeto.

- Estou admirado.
- Que susto, pai.
- Não te precisas de assustar.
- Não contava consigo.
- Estás bem?
- Sim, vou é secar o cabelo e estudar mais um pouco.
- Não te deites tarde e sabes que o pai gosta muito de ti.
- A filha também gosta muito de si.
- Obrigada filhota, hoje surpreendeste-me muito pela positiva, não vou meter-me mais na vossa relação, mas se ele te fizer alguma coisa ou se precisares de algo, é só dizeres.

 Sorri, finalmente o meu pai sabe que pode confiar em mim e a partir de hoje vou ter mais juízo e não desiludir os que me amam.
Abraçei-o e quando olhei a minha mãe olhava para nós os dois, chamei-a e abraçei-a também, subi finalmente as escadas em paz, sei que amanhã vou atura-lo, mas não vou mudar nada do que disse, ele tem de me respeitar.
 Sequei o cabelo e retomei os estudos, estava a começar a ficar cansada, olhei para o telemóvel e suspirei, nem uma mensagem dele, tão estranho, arrumei as coisas e deitei-me, amanhã será um novo dia.













18 comentários:

  1. Hum a Margarida vai ter uma situação complicada com o namorado, não me parece que ele vá perceber que a vida não é só saídas à noite e a relação deles de certeza que não terá futuro.
    Quero ver como isto vai correr, quero vê-la a ser determinada e a fazer aquilo que realmente quer sem se deixar levar pela pressão do Afonso.
    Já sabes que adorei, espero pelo próximo.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Não conheço a restante história, mas adorei este pedacinho. Parabéns :)

    ResponderEliminar
  3. Ansiosa pela continuação! :D

    R: A ver se participo :)

    ResponderEliminar
  4. Ai como tenho saudades de ter o meu tempo para escrever as minhas histórias...

    ResponderEliminar
  5. Assim que tiver um pouquinho de tempo sem dúvida que vou ler :)

    ResponderEliminar
  6. Como sabes comecei a seguir-te a pouco tempo e uma das coisas que mais me chamou atenção no teu blog foi sem dúvida esta história que estás a criar, a história a meu ver está a ficar muito boa, estou a gostar imenso! Estou já ansiosa para o próximo capitulo espero que não demore muito!! Muito Bom!! :)

    ResponderEliminar
  7. Muito bom, Catarina. :)

    Um beijo,

    http://alicetwins.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  8. Awww love story to be continued...
    xxx

    ResponderEliminar
  9. Adorei e quero saber mais :) às vezes temos de ter pulso firme e perceber que por muito que amemos uma pessoa se ela não nos respeita então não nos merece...

    ResponderEliminar
  10. Por mais que gostemos das pessoas, não podemos deixar que façam tudo aquilo que lhes apetece. Temos que lhes colocar os tais travões, caso contrário a situação é bem mais complicada.
    Gostei bastante, quero ler mais :)

    ResponderEliminar
  11. Mais uma vez é a Gi. Adorei a história, espero que o próximo capítulo venha rápido porque estou ansiosa por ler :)

    ResponderEliminar
  12. Acho que tu escreves muito bem. Dás uma continuidade fantástica à história!!!

    ResponderEliminar
  13. Havia de ser comigo... Ui!

    ResponderEliminar
  14. É assim mesmo Margarida! Estou a gostar eheh

    ResponderEliminar