15/12/15

“ O amor é assim …” – Capítulo 13

Bom dia gente linda deixo-vos aqui mais um capítulo, hoje só passo pelos vossos cantinhos ao fim da tarde, vou para o médico de manhã e depois vou à tarde também à médica, mas pensamento positivo, vai correr tudo bem.
Uma ótima terça-feira a todas.
No último capítulo:

Mãe (Sofia)
  Despedimo-nos dos meus pais e fomos embora, precisávamos de descansar pois amanhã bem cedo temos de estar em casa do Rodrigo para ir à polícia, eu quero que o Afonso seja castigado pelo que fez e que nunca mais se aproxime da minha filha.
********************************************************************
Pai (Pedro)
 Quando chegamos a casa, jantamos e fomos descansar, a casa sem a minha menina fica sem vida, é ela que dá alegria a tudo, nunca me acreditei quando me diziam que é quando estamos a perder as coisas é que lhe dá-mos o devido valor mas agora começo a acreditar, agora sei que quero passar o mais tempo possível com a minha filha e que a minha carreira é que está em segundo lugar.
Tantas vezes que coloquei a família em segundo plano por causa do meu trabalho, mas a partir de agora vai ser tudo diferente.
  Tentei adormecer mas estava demasiado preocupado e triste para conseguir descansar, quando dei fé já eram oito horas da manhã, levantei-me, preparei o pequeno-almoço e fui chamar a minha mulher, quero estar à hora marcada em casa do Rodrigo.

- Sofia, acorda. – Disse carinhosamente.

- Hum, bom dia.

- Anda tomar o pequeno-almoço e arranja-te para irmos ter com o Rodrigo.

- Eu já desço.

 Esperei cerca de quinze minutos e finalmente vi a minha mulher a descer as escadas e a sentar-se na mesa da cozinha para finalmente começarmos a tomar o pequeno-almoço.

- Vamos despachar-nos que não quero chegar atrasado.

- Pedro, sei que é difícil isto pelo que estamos a passar, mas tem calma sim?

- Calma? Como podes pedir-me calma quando a nossa filha está a lutar pela sua própria vida.

- Vamos tomar o pequeno-almoço e depois vamos ter com o Rodrigo e sim se a queremos ajudar temos de ter calma e não entrar em pânico, eu tenho medo sim, mas sei que só assim é que vamos conseguir reagir da melhor forma.

- Aquele mostro tem de pagar pelo que lhe fez, Sofia!

-E vai pagar Pedro, isso te garanto, eu não vou desistir disso mas primeiro quero ver a nossa filha bem e a sorrir como só ela o sabe fazer.

 Continuamos a tomar o nosso pequeno-almoço com calma tal como a Sofia tinha sugerido, também nos fazia falta assim um momento de paz coisa que nos vai fazer falta nos próximos tempos.
Quando terminados arrumamos os dois a cozinha e de seguida fomos finalmente para casa do Rodrigo, por sorte a nossa não apanhamos trânsito o que foi ótimo.
 Dez minutos depois estamos em frente à casa dele, eram 9h30 sem falta e o Rodrigo já nos esperava.

- Bom dia senhora Sofia e senhor Pedro.

- Bom dia, mas vamos combinar uma coisa Rodrigo, pode ser?

- Sim diga, senhora Sofia.

- É mesmo isso, vais deixar o senhora e o senhor e podes tratar-nos por Sofia e Pedro, combinado? – Disse simpaticamente.

-Se preferem assim por mim tudo bem. – Disse sorrindo.

 Iniciamos finalmente o caminho em direcção à polícia, eu estava bastante ansioso para lá chegar, quero saber o que podemos fazer para que aquele mostro pague pelo que fez à minha menina.
Sei que ela vai ter um longo percurso de recuperação pela frente, mas eu acredito que ela vai ser a menina forte que sempre foi desde pequenina.
  Hoje recordo quando ela caía e nem uma lágrima deitava, podia estar a doer-lhe muito que ela nunca dava parte fraca, quando doía ela sorria e dizia que já tinha passado.
O caminho para a polícia foi feito em silêncio mas eu ia a recordar a minha Margarida e o meu coração batia a um ritmo alucinante, só queria que isto fosse apenas um pesadelo e que ela estivesse bem.






8 comentários: