26/09/16

Capítulo 21- “ O amor é assim… “

    Bom dia meus amores, espero que gostem deste capítulo, escrevi-o ontem de tarde, senti-me tão bem a escrever.
Obrigada pelo apoio.
 Uma ótima Segunda-feira a todas/os.

                                          No capítulo anterior:
 - Gosto de te ver com esse sorriso, a visita dele fez-te bem.
   Margarida sorria, desde aquele dia que nunca mais se tinha visto um sorriso na cara da jovem, mas André teve esse efeito nela, ela estava feliz, naqueles minutos que esteve com ele, não pensou nos problemas, mas sim que ia ficar boa, agora só ansiava que chegasse o dia em que ia voltar a vê-lo.
***********************************************
   Desde aquele dia da visita, passaram-se semanas, Margarida já tinha sido operada à coluna e neste momento estava a recuperar, mas ainda não andava, esperava-a muita fisioterapia, mas dentro de alguns dias deveria ter alta.
Apesar de estar a recuperar bem, Margarida estava triste, desde aquela visita nunca mais viu André, apesar de terem falado pouco e de estarem pouco tempo juntos, ela gostou dele e sentia a sua falta, não entendia porque é que ele não apareceu mais ali.
  Nestas últimas semanas o Afonso foi preso, admitiu tudo o que fez e parecia estar arrependido, vai pagar pelo que fez e isso é o mais importante.

Margarida
  - Bom dia Mãe.

- Bom dia meu amor, como estás? – Disse, sorrindo.

- Já não sinto tantas dores, quero é ter alta e ir para casa.

- Tens de ter calma filha, sabes que ainda te espera muito tempo de recuperação.

- Eu sei, mas eu vou conseguir voltar a andar.

- Claro que vais, querida.

- E vou lutar para concretizar o meu sonho, nunca vou desistir.

- Vais conseguir tudo o que queres.

- Obrigada mãe por estar sempre do meu lado.

- Quero fazer-te uma pergunta. – Disse, olhando a filha com ternura.

- Diga.

- Quero saber porque andas com esse olhar, parece que estás noutro mundo às vezes, filha.

-Ah isso, são saudades de uma pessoa, não sei explicar, apenas o vi uma vez, mas gostei muito dele.

- Mas quem é essa pessoa?

- É o meu ídolo, o André, ele esteve aqui, foi muito simpático comigo, prometeu que ia voltar mais vezes, mas nunca mais aqui veio, sinto tanto a …

- Eu também senti a tua falta, Margarida.

  Sem que Margarida estivesse a contar, André entrou e surpreendeu-a, aproximou-se sorrindo, cumprimentou a mãe dela e de seguida abraçou Margarida que não parava de sorrir, de felicidade.

- Eu vou deixar-vos sozinhos, devem ter muito que falar, logo volto filha.

- Até logo mãe.

- Juízo. – Riu-se.

  Tal como disse, Sofia, deixou a filha e o André sozinhos, eles precisavam mesmo de conversar, neste tempo de ausência muita coisa aconteceu.

- Desculpa este tempo que estive sem aparecer, mas não consegui mesmo dizer nada, mas fui sabendo sempre notícias tuas, soube que já foste operada à coluna e que estás a recuperar bem. – Disse, sorrindo.

- Sim é verdade, eu senti a tua falta, pensava que nunca mais ias aparecer aqui.

-Eu tinha-te prometido que voltava, nunca ia fazer uma coisa dessas.

- Eu sei que prometes-te mas és jogador de futebol …

- Sou e por vezes temos de nos afastar dos amigos, família e foi esse o caso, tivemos jogos e tivemos algum tempo fora, desculpa.- Disse, calmamente, enquanto a olhava nos olhos.

- Não tens que pedir desculpas, é normal na vossa vida de jogador de futebol, o que importa é que o nosso Porto ganhou. – Sorriu.

- Fazemos sempre por isso, para ganhar sempre, mas às vezes torna-se impossível.

- Lá isso é verdade... Neste tempo em que tiveste ausente, o Afonso admitiu o que fez e foi preso.

- Boa! Agora vai pagar pelo que te fez.

- É verdade e sinceramente sinto-me mais em paz.

- Bem e para te animar mais, trouxe-te uma prenda, toma, - Entregou a Margarida uma saca, que tratou logo de abrir.

- Uau, obrigada, a camisola do Porto, com o teu nome … - Sorriu.

- Não tens de agradecer, quando fores aos jogos é para levar. Riu-se.

- Está prometido. – Riu-se também.

   Estiveram mais algum tempo a falar, até que chegou o momento da despedida.
Margarida ficou novamente sozinha naquele quarto, mas estava feliz, André tinha-se lembrado dela e tinha ido vê.-la.
  Abriu de novo a saca, tirou a camisola e abraçou-se a ela, mas foi quando ia guardar de novo a camisola que viu um papel dentro do saco.
 Pegou nele e leu-o: “ És uma menina muito especial, senti a tua falta, quando quiseres podes usar este número 91…… . ” Espero que me digas algo, beijo grande”.

- Uau, ele deu-me o número dele e sentiu a minha falta mesmo ….




4 comentários:

  1. Gostei do que li mas gostava de ler o que há para trás pois são nova aqui no teu blogue... existe algum sitio onde eu possa ir para ver os capítulos anteriores?

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá

      Basta ires ao separador que diz " Cantinho da Leitura" :)


      Beijinhos

      Eliminar